Quanto pode custar um aquário? Custos de montagem e manutenção.

O custo de um aquário pode ser dividido em duas etapas: capital inicial para instalação e despesas futuras para a sua manutenção correta. Em termos de capital inicial, a diferença entre um aquário tropical e um aquário de água fria está na compra de equipamentos de aquecimento para o primeiro. Já o aquário marinho tropical custará muito mais, pois os peixes marinhos são bem mais caros do que os de água doce.

Entre as espécies de água doce, sejam elas tropicais ou de água fria, não há grande diferença de preço. Quanto às espécies marinhas, três fatores concorrem para elevar o seu preço: os exemplares mas bonitos são importados; não é fácil capturá-los e transportá-los; e como não se reproduzem em cativeiro a comercialização se torna muito mais difícil. A instalação de um aquário marinho envolve ainda outros custos extras: cascalhos de conchas e corais são mais caros do que a decoração usada em aquário de água doce (cascalho comum e plantas). O aquário marinho ainda depende de uma água de boa qualidade, que pode ser fabricada pelo aquarista ou comprada em lojas especializadas, ou ainda pega diretamente no mar, neste caso deve-se prestar muita atenção para não introduzir água poluída no aquário.

Uma vez terminada a instalação e colocados os peixes, o custo de manutenção não é alto, mesmo se tratando de um aquário tropical, que requer equipamentos mais caros. A iluminação, a bomba aeradora e o emprego de aquecedor com termostato para garantir a manutenção da temperatura correta, são itens que aumentarão um pouco a conta de luz. Há, no entanto, certos procedimentos que podem minimizar esse consumo, como apagar as luzes e uma vez atingida a temperatura correta, manter apenas aquecedores com poucos watts. Por outro lado, no que se refere à alimentação, você poderá até fazer uma certa economia, capturando ou cultivando alimento vivo para complementar a alimentação dos peixes.

Fonte: Animais de estimação – PEIXES – Manual prático ilustrado. Editora JBIG

Leia Mais

A escolha do aquário – Como escolher adequadamente?

Um aquário é o meio ambiente onde vão viver os peixes que nós escolhermos. O tamanho de um aquário, portanto, deve estar diretamente ligado à sua capacidade de suporte. Se o aquário escolhido for muito pequeno para a quantidade de peixes, estes fatalmente irão morrer.

Tipo de aquário e oxigênio

Os peixes dependem do oxigênio  dissolvido na água do aquário. Portanto num determinado volume de água somente poderá viver um determinado número de exemplares – e a isso denominamos capacidade de suporte. Num ambiente fechado, com excesso de pessoas, o ar se torna rapidamente viciado, Nesse caso, abrimos janelas e portas ou vamos para fora. Os peixes não podem fazer o mesmo. Eles dependem exclusivamente do aquarista para que o oxigênio dissolvido na água e todas as outras necessidades do aquário sejam supridas.

Embora se diga que quanto maior é o aquário, mais peixes você poderá ali colocar, na prática, isso não corresponde à realidade. O número de peixes que se pode colocar num aquário está intimamente ligado às dimensões da superfície desse recipiente. Quanto maior a superfície, maior será a quantidade de oxigênio para suprimento dos peixes. Da mesma forma, os gases indesejáveis dissolvidos na água terão maior superfície para escapar. Se você possui dois aquários de mesma capacidade em litros, sendo um deles maior na altura, o outro (que, embora sendo mais raso, apresenta maior superfície quadrada exposta ao ar) é o modelo mais indicado.

Qual o formato ideal do aquário?

Você poderá ter o aquário no formato que desejar, mas o número de peixes vai depender da maior área de superfície apresentada. Esse princípio independe do formato do aquário ou do seu volume total.

O tipo mais comum de aquário é o de formato retangular com as quatro paredes de vidro. Ele oferece uma boa visão e permite uma razoável aeração da água. A largura deverá variar de 30 a 40 cm. A única exceção são os aquários destinados ao desenvolvimento de alevinos, que deverão ser mais rasos.

Qual a capacidade ideal de um aquário?

Dois fatores afetam sensivelmente o suprimento de oxigênio de um aquário e, consequentemente, a sua capacidade de suporte: a temperatura (pois águas frias mantêm mais oxigênio que águas aquecidas) e as espécies (porque variedades diferentes de peixes podem requerer quantidades diferentes de oxigênio dissolvido na água). Os peixes de águas frias requerem mais oxigênio que as espécies tropicais de  água doce. Os peixes tropicais marinhos requerem um pouco mais.

Como as necessidades das espécies influem na escolha do aquário?

Existe uma maneira simples de calcular o tamanho do aquário em relação às necessidades das várias espécies: você deixa um certo número de centimetros quadrados de superfície do aquário para cada centímetro e comprimento do peixe. No entanto, tenha em mente que essa relação deixa três alternativas distintas:
1) para peixes tropicais de água doce;
2) para peixes de água doce fria;
3) para peixes marinhos tropicais.

Se seguirmos a norma de colocar o maior número de exemplares possível em um aquário, veremos que os peixes tropicais de água doce vencem os concorrentes por larga margem de pontos, seguidos pelos peixes de água doce fria; somente então vêem os peixes marinhos tropicais. Em termos práticos, os aquários para as três diferentes categorias poderão ter os respectivos comprimentos: 60, 90 e 120 cm cada, todos com profundidade de aproximadamente 40 cm. A razão é simples: além de se observar a superfície adequada para a troca de oxigênio, deverá ser considerada também a própria condição da água. Quanto maior o volume de água no aquário, mais estaveis serão suas condições. Esse equilíbrio é mais difícil de ser mantido no sistema marinho tropical.

Como o aquário deve ser construído?

Além do tamanho do aquário, devemos considerar também como ele é construído. A água exerce determinada pressão sobre as paredes do aquário. Portanto, antes de construí-lo, você deverá saber qual a espessura de vidro é a mais apropriada para cada caso. Os aquários construídos integralmente em vidro deverão ter paredes de maior espessura, pois sem as molduras metálicas os próprios vidros atuam como suporte. Para aquários de até 45 cm de comprimento é suficiente o uso de vidros de 4 mm de espessura; para aquários de até 90 cm, usa-se vidro de 6,5 mm; e para aquários de 120 cm é suficiente um vidro de 10 mm. Para este último modelo, e mesmo para aquários maiores, é aconselhável colocar uma faixa de vidro (com aproximadamente 10 a 15 cm de largura) cruzada no topo do aquário. Para amarrar as paredes, de modo a evitar que o aquário venha a abrir sob a pressão da água.

Fonte: Animais de estimação – PEIXES – Manual prático ilustrado. Editora JBIG

Leia Mais

Você sabe como escolher corretamente o tanque do aquário?

Para os peixes de aquário, ter espaço para nadar no tanque é um prêmio, uma vez que a densidade populacional dentro do aquário é muito maior do que em qualquer habitat natural aquático. Baseado nisso, é melhor optar pelo maior tanque que você pode pagar e que o espaço que você tem na sua casa permita. Reservatórios de pequeno porte são inicialmente mais baratos para comprar, mas sua manutenção se torna mais cara no longo prazo. Além disso, seus peixes podem crescer rapidamente e em pouco tempo podem ficar grandes demais para o seu tanque .
Antes de comprar o seu tanque, vale a pena pensar sobre o tipo e o número de peixes que pretende manter no aquário, e procurar saber que tamanho eles atingem em sua fase adulta. O fator chave na avaliação da densidade correta de um tanque é sua área de superfície, porque é aqui, na interface água / ar, que a troca gasosa ocorre. Quanto maior a área de superfície, mais oxigênio dissolvido haverá na água e mais peixes o tanque vai ser capaz de suportar. Normalmente é recomendado uma área de superfície de cerca de 75 centímetros ^ 2 para cada 2,5 cm de comprimento do corpo dos peixes adultos.
Além da área de superfície, você também precisa considerar o volume do tanque, uma vez que o aquário tem de proporcionar espaço adequado para a natação dos peixes. Como regra geral, considere manter 2 litros de água para cada centímetro de comprimento do corpo dos peixes adultos. Ao fazer seus cálculos, lembre-se de desconsiderar cerca de dez por cento do volume total do tanque que representa as pedras e outros objetos de decoração.
Lembre-se que os peixes de aquário necessitam de água limpa, oxigenada e espaço para nadar. Se você superpopular o seu aquário, a qualidade da água irá cair rapidamente e seus peixes poderão morrer.

Leia Mais